terça-feira, outubro 20, 2009

A História do Poeta Bom-De-Briga.



Escolheu a palavra como defesa pessoal. Aprendeu a dar os primeiros golpes ainda na infância, usando seus cadernos-sacos-de-pancada, guardados no ringue secreto do quarto. Criou a mais complexa arte das imobilizações metafóricas, inspirações herdadas por ascendência familiar, nomes consagrados. Nunca fazia demonstrações em publico, mas era conhecido em todos lugares pelas habilidades quase sobre-humanas de violência textual. Intocável, seguia com esmero de si palavreando risos, mas deixava sempre caneta afiada nas pontas dos dedos, arma nobre disposta a qualquer imprevisto poético ou até mesmo para o cotidiano. Derrubou a dor a pancadas paradoxais, matou friamente o medo da reprovação-poética com agressões metalingüísticas. Desafiou os mais temidos inimigos pessoais e ante-literários. Quando vieram as paixões escolheu os versos, quando a solidão, a prosa.

Um dia, tentou fazer um pouco de silêncio e foi assassinado.





 Escrito em Setembro de 2006






Marcadores: , ,

25 Comentários:

Anonymous Danizinha disse...

Primeironaaaa!!! Eeeeee... Nando querido, fico feliz demais que tenha voltado a postar! Já me considero sua amiga-fã e saiba que seus rascunhos têm amadurecido e progredido muito ao longo desse tempo. "Bão demais da conta" ter voltado a ativa e compartilhar suas prosas e versos conosco. Sou sua incentivadora e conte sempre comigo! Bjim! Dani.

quarta-feira, 20 de setembro de 2006 20:16:00 BRT  
Anonymous Geórgia disse...

Fernando, obrigada pela visita lá. Passei bons momentos aqui te lendo. Deixo beijo.

quarta-feira, 20 de setembro de 2006 22:47:00 BRT  
Anonymous leilalopes disse...

palavra como defesa, eu me defendo de mim mesma, quando escrevo.
Bjo

quarta-feira, 20 de setembro de 2006 23:46:00 BRT  
Anonymous Paty disse...

Que lindo texto, Fernando... me perdi na falta de palavras... ;o)

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 00:59:00 BRT  
Anonymous edu disse...

de volta!
fico feliz e poder te ler novamente. por que havia sumido?

abraço,
edu

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 07:59:00 BRT  
Anonymous Arilson disse...

Oi Nando,

Muito belo seu texto, poético e extremamente criativo, fiquei fascinado ao lê-lo. Porém discordo quanto o poeta assassinado, quem estar morto não escreve tão divinamente.

O poeta estar mais vivo do que nunca teve.

Quero ver o seu livro publicado.

Continue brilhando e nos iluminandos meu querido poeta.

Muita paz e serenidade, abração, Arilson

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 08:32:00 BRT  
Anonymous Marcelo Cantalice disse...

Bem Vindo a evolução...
Obrigado por enobrecer uma velha mente jovem com suas palavras...
Um Abração

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 11:35:00 BRT  
Blogger douglas D. disse...

Creio e descreio com alternância e, de alguma forma, procuro expressar isto nos blogs. Talvez por isso eu tenha mais de um...
abs.

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 12:05:00 BRT  
Blogger Nanna disse...

Fantástico!

Beijinhos...
:)

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 13:44:00 BRT  
Blogger CeciLia disse...

Fernando,

gostei, gostei, gostei. Quero te ler mais, estou voltando de um silêncio suicida. Ando aos poucos. Parabéns. Abraço.

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 15:22:00 BRT  
Anonymous Ana disse...

Impressionada com a imaginação!
Um beijo!

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 19:20:00 BRT  
Blogger Claudia Perotti disse...

Caramba, que texto forte, Fernando.
Voltou com tudo!

Beijinhosssssss

quinta-feira, 21 de setembro de 2006 23:19:00 BRT  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Assassinado por ser um estuprador de palavras...esse não merecia!
Obrigada pela visita e palavras encantadas para mim, seja bem vindo e volte quando tiver vontade.
lindo dia
beijossssssss

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 01:40:00 BRT  
Anonymous michele disse...

Decidi visitar alguns blogs e acabei te descobrindo. Estava em busca de algo novo e com conteúdo. Gostei muito do que vi e voltarei mais vezes sem a menor dúvida. Deixo registrado que ter sua visita em minha estação será um grande prazer.
Permita-me deixar algumas folhas secas pelo teu chão e breve estarei passeando em tuas letras novamente.
Simplesmente Outono.

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 13:44:00 BRT  
Anonymous Clara disse...

Hehheh... Concordo com você... arma branca é demais (sugere um bom tema). Valeu pelo comentário, adorei seu cantinho... com mais tempo leio tudinho...
Seu texto é muito bacana!
Beijo!

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 14:32:00 BRT  
Anonymous Carlos Sena disse...

Fascinante Fernando! Já sou fan da tua escrita !!!! Continue a brigar bem!

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 21:39:00 BRT  
Blogger Luna disse...

Curioso isso.
Gostei de seu texto, mas acho que ainda não posso comentá-lo. Gostei do seu estilo, mas há algo por trás que eu ainda não reconheci...
Estou voltando de um silencio de palavras e almas... Andei perdida em minhas esquinas e vilas e agora que me encontrei, preciso me adaptar ao que sou... E parar de me reconhecer nas entrelinhas ou de reconhecer a outros que as vezes sou eu mesma.
Um abraço.
Luna

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 22:27:00 BRT  
Blogger Wilson Guanais disse...

volto aqui mais vezes.
abraço.

sexta-feira, 22 de setembro de 2006 23:14:00 BRT  
Anonymous Paulo Vigu disse...

Caneta afiada como arma é o tiro certo às palavras. Às suas palavras. Grato por sua visita no Riodaqui - Abraço aí - Paulo Vigu

sábado, 23 de setembro de 2006 01:14:00 BRT  
Blogger DE PROPOSITO disse...

Obrigado pela visita.
Um texto interessante. Tomei nota de: 'Quando vieram as paixões escolheu a poesia, quando a solidão, a prosa'. Um raciocínio interessante.
Saudações para o Brasil.
Manuel

sábado, 23 de setembro de 2006 08:43:00 BRT  
Anonymous Esdras disse...

Aeeeeee... Billy fico muito feliz em saber que voltou a escrever e segundo que continua sendo simples e direto em tudo que vc escreve.
Um abraço Plinty e pode deixar que quando chegar em SSA vms combinar umas doses de Black (risos)

Esdras

domingo, 24 de setembro de 2006 00:52:00 BRT  
Blogger Keila Sgobi disse...

ou suicidou-se?

domingo, 24 de setembro de 2006 14:39:00 BRT  
Anonymous Danii disse...

Interessante. Escreveu momentos antes de nos conhecermos =)

AMO VC.

terça-feira, 20 de outubro de 2009 23:06:00 BRST  
Blogger S' disse...

Muito bom, belas metáforas, gostei bastante.

http://poetificar.blogspot.com

quarta-feira, 21 de outubro de 2009 20:07:00 BRST  
Blogger noma,beto,cida disse...

Essa metáfora é excelente todo poeta tem que ser bom de briga e não calar-se jamais....

sexta-feira, 18 de junho de 2010 16:22:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial