terça-feira, novembro 08, 2005

A Carta

Composição: Djavan / Gabriel O Pensador

“Não vá levar tudo tão a sério
Sentindo que dá, deixa correr
Se souber confiar no seu critério
Nada a temer
Não vá levar tudo tão na boa
Brigue para obter o melhor
Se errar por amor Deus abençoa
Seja você

No que sua crença vacilou
A flor da dúvida se abriu
Vou ler a carta que o Biel mandou
Pra você, lá do Brasil:

Eles me disseram tanta asneira, disseram só besteira
Feito todo mundo diz.
Eles me disseram que a coleira e um prato de ração
Era tudo o que um cão sempre quis
Eles me trouxeram a ratoeira com um queijo de primeira
Que me, que me pegou pelo nariz
Me deram uma gaiola como casa, amarraram minhas asas
E disseram para eu ser feliz

Mas como eu posso ser feliz num poleiro?
Como eu posso ser feliz sem pular ?
Mas como eu posso ser feliz num viveiro,
Se ninguém pode ser feliz sem voar?

Ah, segurei o meu pranto para transformar em canto
E para meu espanto minha voz desfez os nós
Que me apertavam tanto
E já sem a corda no pescoço, sem as grades na janela
E sem o peso das algemas na mão
Eu encontrei a chave dessa cela
Devorei o meu problema e engoli a solução
Ah, se todo o mundo pudesse saber
Como é fácil viver fora dessa prisão
E descobrisse que a tristeza tem fim
E a felicidade pode ser simples como um aperto de mão
Entendeu?

É esse o vírus que eu sugiro que você contraia
Na procura pela cura da loucura,
Quem tiver cabeça dura vai morrer na praia."

Marcadores: , ,

7 Comentários:

Blogger Dona Estultícia disse...

Quem tiver cabeça dura vai bater mais vezes...

quarta-feira, 9 de novembro de 2005 10:54:00 BRST  
Blogger Gwen disse...

sem inspiração é?

Hum... pensei que era sómente com os meros mortais...

quarta-feira, 9 de novembro de 2005 12:24:00 BRST  
Blogger Claudia Perotti disse...

Adoro os dois!
Belíssimo!
beijos

sexta-feira, 11 de novembro de 2005 12:19:00 BRST  
Anonymous Liliane disse...

oh, virose geral.sem vacinação...
bjos

sexta-feira, 11 de novembro de 2005 16:56:00 BRST  
Anonymous edu disse...

"segurei o meu pranto para pransformar em canto e para meu espanto minha voz desfez os nós
que me apertavam tanto"

isso é muito bom

.
.
.

abraço
edu

sexta-feira, 11 de novembro de 2005 18:19:00 BRST  
Blogger GNM disse...

Este poema está fantástico!

Fica bem...

quarta-feira, 16 de novembro de 2005 09:47:00 BRST  
Blogger olhosdemar disse...

esta letra é muito, muito boa!

domingo, 1 de julho de 2007 14:03:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial