segunda-feira, outubro 10, 2005

Baseado em e-mails reais - III

Estranho seria se eu te escrevesse somente verdades, até a sinceridade se confunde. Queria poder te enviar as mais sinceras verdades que guardo aqui dentro, mas eu descobri que sou mais forte fora de mim. Difícil escrever de amores. Para seguir em certos assuntos é preciso saber exatamente o caminho de volta. Quem dera mudar para um lugar onde eu pudesse inventar lembranças, seria bem mais divertido. Aqui o tempo se torna um juiz injusto, condena-me das memórias que se apegam ao que não aconteceu. Condena-me pelos pecados que deixei de cometer. Condena-me. Não tirei lições do que vivi, aprendi mais com quem eu não fui. Estou rompendo todos os contratos que não fiz, assino em baixo para me libertar de compromissos. Declaro morte às mentiras antigas, temo que elas sobrevivam ao tempo - mesmo sabendo que as que mais me incomodam são também as mais difíceis de me desapegar. Eternas sobreviventes -. Uma mentira-antiga sobrevivente já é uma nova verdade por costume, entenda. Mentir para si é tentar enganar alguém que sabe mais de você do que você mesmo. Cansado, vivo em um silêncio distante. É nessas noites vazias que posso escutá-lo barulhar com intensidade. Ouça. A noite de uma segunda-feira é um dia completamente vazio. Você irá achar que é não dando atenção que se derrota o silêncio, mas não é. Ignorar o silêncio ainda é permiti-lo. Não tenho medo, vejo as voltas compondo o mundo agora, antes só via o contrário. Acho que não ando encontrando novos amores, mas me repetindo neles. Porque amar nada mais é do que uma repetição de sonhos, porque não há amor maior do que repetir um mesmo amor, porque esses nossos amores idealizados nada mais são do que amores próprios em potencial. Sinto-me bem, agora, meu corpo reaprendeu a desgrudar do chão, já piso em superfícies mais altas sem temer a passos em falso. Não me assustam as quedas. Quando desejamos muito algo a margem de erro é como um percursionista da banda, quem deseja presta mais atenção no vocalista. Não quero me prolongar, está tarde e o sono é um sujeito exagerado, tem um péssimo costume de aumentar tudo o que vê. Só preciso achar um significado para completar um silêncio, entenda. Algo que me faça esquecer tudo que ele não me diz, uma ausência de significado fantasioso, uma explicação para uma falta de sentido - acho que esse silêncio queria mesmo de se tornar palavras, mas ele tem medo de se escutar.

Marcadores: , , ,

34 Comentários:

Anonymous leila disse...

Nando, Nando, tanta coisa boa dita aqui, verdades que ficam acenando, repetir um amor é acumular amor: necessário tantas vezes saber o caminho de volta. Tudo isso assim exato, assim tão transparente, nestas palavras todas que nos aquece. Fazem o sentido do silêncio da noite de segunda-feira, na noite da vida. Querido, mais um texto belo. Beijo, beijo.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005 23:01:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Another great blog man! What a 4 you are! I couldn't derive half the fantastic ideas that you come up with.
My site is a little off your topic but noteworthy. Why aren't you in advertising or better yet a "think tank". Can you teach this kind of creative thinking? Is it something you were born with? Keep the fabulous ideas coming! Let's say a prayer for Pakistan and hope for the best.

segunda-feira, 10 de outubro de 2005 23:02:00 BRT  
Blogger Danilo de Castro disse...

Aee Fernando, acho que ainda não estou pronto para criticar um texto, contudo, por instinto tento identificar se ele é bom ou ruim, mesmo achando que é relativo dizer se um texto é bom ou não. Com este, realmente, eu não me identifiquei, mas gostei. Ainda curto mais as versões de palavras mudas.
Falou, um abraço.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 09:21:00 BRT  
Blogger Ilidio Soares disse...

Obrigado pela visita e comentários deixados por lá. Seus "Rascunhos" são instigadores, provocam outras histórias não fossem eles excelentes histórias também.
abçs
Ilidio

terça-feira, 11 de outubro de 2005 10:30:00 BRT  
Anonymous dona estultícia disse...

Bonito!

terça-feira, 11 de outubro de 2005 10:43:00 BRT  
Blogger vero disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário k deixou no meu blog... Ah, o amor...:)
Beijinhos***

terça-feira, 11 de outubro de 2005 11:12:00 BRT  
Anonymous Érico Fumero disse...

Fernando,
"aprendi mais com quem eu não fui"
Onde você aprendeu a escrever assim?
Um abraço

terça-feira, 11 de outubro de 2005 11:14:00 BRT  
Blogger Rubens da Cunha disse...

Oi Fernando, obrigado pela visita.
por aqui, a existência também corrói. abraços
Rubens

terça-feira, 11 de outubro de 2005 11:24:00 BRT  
Blogger douglas D. disse...

memórias que se apegam ao que não aconteceu vestem azul nos dias de chuva.
valeu pela visita no blog.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 14:33:00 BRT  
Blogger douglas D. disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 14:33:00 BRT  
Anonymous Barbant disse...

"Para seguir em certos assuntos é preciso saber exatamente o caminho de volta."
"... o tempo ... condena-me das memórias que se apegam ao que não aconteceu. Condena-me pelos pecados que deixei de cometer." "
Uma mentira-antiga sobrevivente já é uma nova verdade por costume ..."
Estes fragmentos são mais do que sínteses filosóficas.
Coalhadas entre as frases do texto, assumem figuras nítidas, apesar do seu carácter de vidro: cristalizações.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 16:19:00 BRT  
Blogger Ernesto Diniz disse...

Primeira vez aqui e achei lindo, incessante, ultrapassando, transbordando. Volto mais. Abraço forte.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 17:10:00 BRT  
Blogger Walter disse...

há um rasto de verdade nas tuas palavras!
walter

terça-feira, 11 de outubro de 2005 19:09:00 BRT  
Blogger você disse...

por isso prefiro os escritores anonimos. eles me parecem mais reais.

as segundas tenho insonia. sempre sempre.

um abrá.

terça-feira, 11 de outubro de 2005 20:54:00 BRT  
Anonymous Marcelo Cantalice Dias disse...

Fernando,
Como disse Vitor Freire...Fazendo amizade com a imaginação...é desta forma que começamos a criar textura e formas para os sonhos, os sonhos de amor...estes são instantes de solidão e ausência física, mas uma completa e repleta aliança espiritual: você, o seu amor e a sua imaginação...Viver de acreditar é saber o momento certo de sonhar e de expressar a realidade da vida. O silêncio só não escuta mais quando deixamos de sonhar...e quando isso acontece meu irmãozinho...Pode ver que tem um tampão de madeira em cima de você!!!
Fui, Keep Walking!!!

terça-feira, 11 de outubro de 2005 23:19:00 BRT  
Anonymous Anjinho disse...

Simplesmente fantástico.
Gostei muito mesmo! Aquilo que dizes é a verdade, simplesmente.

quarta-feira, 12 de outubro de 2005 08:42:00 BRT  
Anonymous Gabi disse...

Há textos seus que me deixam sem palavras para comentar, esse aqui é um desses casos...vou me resimir a dizer que é muito bom ler algo assim. Beijo, beijo!

quarta-feira, 12 de outubro de 2005 13:21:00 BRT  
Anonymous Mariano Flores disse...

Mito bom, fernando!
Alguns trechos simplesmente me tiraram o fôlego!!! Impressionante, intesno.
Abraço, cara.

quarta-feira, 12 de outubro de 2005 13:25:00 BRT  
Blogger Dani F. disse...

Boa noite..Fernando..
Agradeço à visita no Faxina..obrigada pelo comentário..à respeito do meu blog...aguardo visitas...também estarei por aqui....
Um abraço,

quinta-feira, 13 de outubro de 2005 19:50:00 BRT  
Anonymous Pedro disse...

Tem um professor meu que vive dizendo que o silêncio fala mais que as palavras...

quinta-feira, 13 de outubro de 2005 20:11:00 BRT  
Blogger Beatriz Galvão disse...

Estamos todos vivendo de ausências, Fernando. E o silêncio talvez nos marque mais do que mil palavras. E as não-experiências valem mil sustos vividos.
Susto: a ausência tem estado presente em meus escritos atualmente...

Gostei daqui. Me identifiquei. Te favoritei e vou voltar.
Te beijo n´alma!

quinta-feira, 13 de outubro de 2005 20:27:00 BRT  
Blogger Gwen disse...

pra mim nao é dificil so escrever, é dificil sentir.../
é tanta partilha...
tanta...

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 08:45:00 BRT  
Blogger Nana disse...

Olá!
Gostei muito da tua visita ao meu blog e adorei esse teu cantinho.
Em breve irei te linkar por lá, se você assim o permitir.
Vi nos teus links que tem o Carpinejar, eu também o linkei, o blog dele é realmente muito bom.
Beijo carinhoso.

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 08:58:00 BRT  
Anonymous Nálu disse...

Retribuo a visa, gostei muito também. Esse texto tem belos achados. Coisa de quem sabe dizer, eu admiro isso.
Volto.
Nálu

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 09:31:00 BRT  
Anonymous Isabela disse...

Quanta beleza...

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 09:44:00 BRT  
Blogger Wescley disse...

"barulhar com intensidade..." eis uma alusão ao teu site. um abraço seridoense.

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 12:31:00 BRT  
Blogger Claudia Perotti disse...

Simplesmente maravilhoso.
Adoro tuas letraS!
Beijos

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 12:39:00 BRT  
Blogger Blue Woman disse...

O escritor Miltom Hatoum diz isso: que é impossível contar puramente a verdade, somente ela, nada mais, nada menos. Pq depois q acontece o que é verdade se perde no tempo...

bjo

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 14:21:00 BRT  
Blogger hfm disse...

Gostei de conhecer este blog. Voltarei.

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 14:30:00 BRT  
Blogger Amante da Poesia disse...

Olá

Gostava de te convidar a conheceres o meu blog.

É um tributo aos poetas lusófonos.

Espero lá por ti.

sexta-feira, 14 de outubro de 2005 21:31:00 BRT  
Anonymous Liliane disse...

cuide para que suas palavras nao sejam piores que seu silencio....
gosto desta frase.
bjos

sábado, 15 de outubro de 2005 00:11:00 BRT  
Blogger minina disse...

Mininu! q texto, hein? pra falar a verdade, ainda ñ capitei todas as verdades dele, provavelmente isso nunca acontecerá, mas... ainda tô meio em... digamos, estado de choque! kkkkkkkk.....!
adorei teu blog! voltarei tb aqui!!! inteligentes palavras, são para mim, feito imãs!!!! bjãooooooooooooooooo :************************

sábado, 15 de outubro de 2005 05:23:00 BRT  
Blogger Carla disse...

Belo texto...
Realmente há muitas Marinas no mundo, a sonhar acordadas...

terça-feira, 18 de outubro de 2005 09:10:00 BRST  
Anonymous Danizinha disse...

Eita Nando!

Que bom que descobriu tanta coisa boa no "Vomitando Imagens"! Orgulho-me de ter te indicado (hehe).

Bjim,
Dani.
PS. Este texto é simplesmente lindo! Esta série está se tornando a minha predileta!

terça-feira, 25 de outubro de 2005 19:59:00 BRST  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial