quinta-feira, dezembro 22, 2011

Pequenos Poemas - II






Soletrei teu nome

para tentar esquece-lo


Pousei rascunhos em teu olhar, como se você estivesse aqui


E você estava



Sou herdeiro do teu silencio


Vivi a apreensão do momento

antes que o próprio momento

Apertei os dedos para segurar as palavras


Te perdoei por vingança



Fernando Palma, Maio de 2006


Pintura : Luís Matas López

Marcadores:

40 Comentários:

Anonymous m disse...

vim agradecer a viista e dizer que gostei muito daqui!
bjos e bo sabado

sábado, 23 de setembro de 2006 14:01:00 BRT  
Blogger Segunda Pele disse...

Palmas pra vc! Mais uma vez.

sábado, 23 de setembro de 2006 14:46:00 BRT  
Anonymous Cristine Freitas disse...

Realmente não há o que comentar...cada linha desse poema nos arranca um pedaço la na alma e parece ate que ele é meu

sábado, 23 de setembro de 2006 14:52:00 BRT  
Blogger Wilson Guanais disse...

ótimo poema.

abraço

sábado, 23 de setembro de 2006 16:08:00 BRT  
Anonymous Line disse...

Muito bom.. engraçado que qdo vc coloca as imagens pros textos penso, por um momento, que foram feitas exclusivamente pra isso. rs.. Muito bom mesmo! bjos

sábado, 23 de setembro de 2006 20:10:00 BRT  
Blogger Leandro Jardim disse...

Bom! fechou com chave-de-ouro!!

abraços
Jardineiros

sábado, 23 de setembro de 2006 20:15:00 BRT  
Blogger Vicente Siqueira disse...

Oi, Fernando.
Passei para retribuir a visita e, agradavelmente me deparei com um sem-número de belíssimas imagens poéticas mentais. Seus textos são instigantes e muito bem dimensionados.
Parabéns.
Pra você eu deixo doces

domingo, 24 de setembro de 2006 07:11:00 BRT  
Blogger hfm disse...

Da poesis.

domingo, 24 de setembro de 2006 07:52:00 BRT  
Blogger Fernando Rozano disse...

Oi Fernando, gosto muito da tua escrita, forte, densa, afetiva. me alimento muito com ela. Meu abraço.

domingo, 24 de setembro de 2006 08:22:00 BRT  
Anonymous Marcelo Cantalice disse...

Profundo como um amor de criança...intenso como um amor de adolescência e maduro como um amor de adulto...
Comova, emocione e viva sempre este momento de magia e poesia...
Grato sempre por suas palavras e conselhos!!!
Um Abraço irmão

domingo, 24 de setembro de 2006 09:29:00 BRT  
Anonymous Márcia(clarinha) disse...

Escravo de uma paixão escreve com V de vingança o perdão.
lindo domingo
beijosssssss

domingo, 24 de setembro de 2006 09:30:00 BRT  
Anonymous Menina Lua disse...

É doce perdoar por vingança...
Doce demais!
Menino Fernando,acho que vc sabe o que penso de vc, um homem definitivamente adorável.
Bjs,querido e tenha uma ótima semana!

domingo, 24 de setembro de 2006 10:13:00 BRT  
Anonymous leilalopes disse...

Quando piso aqui, tenho impressão que estou sempre seguindo seus passos. Gostei tanto desse. É tão real.

domingo, 24 de setembro de 2006 12:02:00 BRT  
Anonymous moacircaetano disse...

por vingança ou paixão,
um perdão
é sempre um perdão!

domingo, 24 de setembro de 2006 12:32:00 BRT  
Anonymous Garota bossa-nova disse...

Cessar as palavras é algo tão difícil.Principalmente quando as palavras ululam,saltam,trapaceiam e se exaltam dentro do céu de nossa boca.Em compensação,herdar o silêncio de alguém é algo especial.Calar é um dom.Beijos pra você.Dominicais.

domingo, 24 de setembro de 2006 14:09:00 BRT  
Anonymous Rafaella disse...

Fernando eu simplesmente amo o seu blog, eu sempre visito aqui para ler e reler esses seus poemas, textos, tudo me encanta, sempre! E é de todo coração que eu falo isso, acho que já devo ter te falado isso, mas muitas coisas nao resisto e acabo copiando na minha agenda-diário... Perfeitas!

Mil beijos.

domingo, 24 de setembro de 2006 18:47:00 BRT  
Anonymous Lidiane disse...

"Perdoar por vingança" deve ser como "amar a indiferença".
Doído.

Beijos.

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 02:11:00 BRT  
Anonymous Secreta disse...

Magnifico poema!
Um bom exemplo de que , com poucas palavras , podemos dizer muito.

Beijito.

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 05:35:00 BRT  
Anonymous Clara disse...

lembrei do seu blog quando escrevi algo sobre "rabiscos"... era mais ou menos assim:
"rabiscos são melhores que palavras
não magoam, não mentem
não dizem nada"
lembrei porque rascunho sempre é um monte te papel rabiscado... rs
Boa semana pra ti!

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 13:42:00 BRT  
Anonymous Clara disse...

concordo com Lidiane...

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 13:46:00 BRT  
Blogger Claudio Eugenio Luz disse...

No silêncio do momento a nossa mente arquiteta as saídas. Muito bom.

hábraços

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 14:29:00 BRT  
Anonymous Arilson disse...

Oi Nando,

Mais um texto, sensível e poético, parabéns grande poeta..

O amor é assim mesmo, por mais que tentamos fugir dele, ele sempre consegue gritar mais alto do que palavras não ditas.

Não se perdoa por vingança e sim por amor. A gente tenta se enganar e pensa que foi por vingança mas, lá fundo, olha o danadinho lá: o amor.

Continue a nos brindar com as pérolas que são os seus textos.

Muita paz e serenidade, abração, Arilson

segunda-feira, 25 de setembro de 2006 21:54:00 BRT  
Blogger Marla de Queiroz disse...

A pró-cura de um perdão...

Beijos.
Obrigada pela visita.

terça-feira, 26 de setembro de 2006 08:10:00 BRT  
Blogger Tiago disse...

putz, eu não entendo de poema, cara. mas gostei. abraço.

terça-feira, 26 de setembro de 2006 09:25:00 BRT  
Anonymous Claudia Perotti disse...

Gostei muitooooo, Fernando.
Boa semana para ti!
Beijinhosss

terça-feira, 26 de setembro de 2006 09:33:00 BRT  
Blogger Poesia Portuguesa disse...

"...Sou herdeiro do teu silencio..."

Excelente! Gostei muito dos teus sentires.
Grata pela partilha que aqui fazes.

Um abraço ;)

sexta-feira, 29 de setembro de 2006 05:04:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

eu te amo rodrigo

quinta-feira, 1 de outubro de 2009 21:09:00 BRT  
Blogger bonekinhasdeluxo- disse...

kamilla:O passaro foi a praia com seu bico
escreveu ñ se preucupe kamilla por q
jone ja é seu:ñ sei se devo esquecer ñ sei se
devo lembrar lembrando vou sofrer esquecendo vou xorar:se amar um imperio eu seria
uma rainha mais como amar é[vc quem sabe de escrever]:eu dentro do meu quarto solitaria a pensar tenho apenas 11 anos como posso te amar...

terça-feira, 17 de agosto de 2010 16:13:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

que texto lindo

segunda-feira, 21 de março de 2011 17:02:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

oi,eu adorei esse poema adorei, anna júllia.

domingo, 29 de maio de 2011 15:09:00 BRT  
Anonymous Nicolly disse...

Que lindo esse poema bonekinhasdeluxo

domingo, 24 de julho de 2011 11:57:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

adoreio poema profundo como o mar intenso como o infinito. somente o amor o sabe,

segunda-feira, 15 de agosto de 2011 18:22:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

OI
EU ACHEI O POEMA MUITO LINDO MESMO E VOU POR NO MEU PERFIU
ASS;LUAN DOMINGOS SANTANA
E VOU FALAR SOBRE ELE NO MEU SHOW...

quarta-feira, 2 de novembro de 2011 19:30:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

eu adorei e bastante interesante:);)♥☻☺♦♣♠•◘○♀

quinta-feira, 3 de novembro de 2011 09:41:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

o que e poema

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011 20:23:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

é um maximo poque ele falasobre avida da gente

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011 13:31:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

lindo

quarta-feira, 7 de março de 2012 07:12:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

gosteii....muuiintooo!!!

sábado, 10 de março de 2012 20:39:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

adorei.... vc foi muito real....

quarta-feira, 22 de agosto de 2012 01:10:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Muito bon este t

terça-feira, 11 de setembro de 2012 16:13:00 BRT  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial